Negócio milionário
EXCLUSIVO: CBS compra imóvel do Sendas para expandir Sider Shopping


Edifícios do HiperSendas e do Tutti Fruti serão demolidos para ampliação do Shopping

A Vila Santa Cecília é disparada a melhor área comercial de Volta Redonda. Não é à toa que tem o metro quadrado mais caro da cidade do aço. Exemplo: uma casa na Rua 33, sem reformas, está sendo vendida por R$ 600 mil. Isso vai mudar. Para melhor no primeiro caso; para pior no segundo. É que a CSN, através da CBS Previdência, com aval do prefeito Gotardo, fechou um acordo com alguns empresários para tornar o Sider Shopping um dos maiores shoppings do estado. Para que isso ocorra, será feita a demolição total de dois imóveis: do sacolão Tutti Fruti, que já pertencia a CBS, e do HiperSendas, adquirido pelo grupo CSN.
Antes que os apressadinhos pensem que o Sendas e o sacolão vão fechar, um aviso: no futuro, eles estarão incorporados ao Sider, sendo que o Sendas será uma das lojas âncoras do shopping. Para que isso ocorra, uma verdadeira estratégia de guerra está sendo montada. Prevê, entre outras, a ida imediata do sacolão para instalações provisórias que serão erguidas na área onde funciona um estacionamento da siderúrgica, em frente ao Escritório Central e ao lado do Edifício Gacemss. Quando o sacolão se mudar para lá, a CSN vai demolir as instalações do Tutti Fruti.
O segundo passo será iniciar a construção das novas dependências do Sider na área do sacolão, com futuro acesso dos clientes tanto por uma passarela aérea pela Rua 12 quanto por uma passagem subterrânea pela Rua 23-B , ligando totalmente e em definitivo todas as áreas do futuro Sider Shopping. Aí então, o Sendas passará a funcionar como loja âncora no subsolo do shopping. O Sacolão, por sua vez, sairá do estacionamento ao lado do Gacemss passando a ocupar uma área nobre também no subsolo do Sider.
Tem mais. Com tantas idas e vindas, os clientes também serão beneficiados com a ampliação do estacionamento do shopping, que terá sua capacidade aumentada para mil automóveis em área coberta.

De graça
DENGUE: Prefeitura começa a distribuir capas para caixas d’água a famílias carentes

Graças a um alerta do aQui, a prefeitura de Volta Redonda pediu e o governo do Estado está enviando capas para caixa d’água para serem distribuídas a famílias da periferia da cidade do aço que não têm condições de comprar. O objetivo é controlar o índice de infestações do mosquito da dengue em bairros carentes, como Santo Agostinho e Eucaliptal, onde foram registrados mais casos da doença. Inicialmente, apenas mil capas foram disponibilizadas. Entretanto, esse número deve subir. Segundo informações do coordenador da Vigilância Sanitária, Luiz Carlos Rodrigues - o Imperial, uma nova remessa de capas está para ser entregue.
Além disso, o governo do Estado sancionou o projeto de lei 1455/08, aprovado pela Alerj, que obriga a venda somente de tampas. O texto aprovado suplementa artigos do Código de Defesa do Consumidor, obrigando estabelecimentos que comercializam caixas d’água em todo o estado do Rio a permitir a venda em separado das peças que compõem o recipiente. À norma serão adicionadas emendas, aprovadas em Plenário, fazendo, entre outras coisas, com que a renda obtida através das multas por descumprimento, que variam de R$ 500,00 e R$ 50.000,00, seja destinada ao Fundo Estadual de Saúde. Os estabelecimentos que comercializam estes produtos também terão que afixar cartazes com lembretes sobre a possibilidade de venda em separado.
“É um trabalho de prevenção, com o objetivo de diminuir os possíveis focos da dengue. Vamos atender às pessoas carentes porque elas não têm condições de comprar a tampa original e acabam deixando-as descobertas ou cobertas de maneira inadequada”, disse Imperial, que errou feio ao apostar que a mudança climática iria ajudar na queda do número de casos de dengue. Segundo dados da secretaria de Saúde, até na sexta, 16, havia 1.453 notificações da doença. Para se ter uma idéia do crescimento, no dia 28 de abril, as notificações eram 850.
Mas, o crescimento de notificações não é um privilégio da cidade do aço. Em todo o estado do Rio, a dengue parece não dar trégua. Até ontem, sexta, 16, o Estado do Rio de Janeiro notificou 145.350 casos de dengue, com 109 mortes confirmadas e 123 sob investigação. Os municípios com maior número de casos são Angra dos Reis (10.217), Campos (6.087), Nova Iguaçu (8.884), Duque de Caxias (5.201), São João de Meriti (3.146), Niterói (4.586), Magé (2.681), Belford Roxo (2.906), São Gonçalo (1.400) e Rio de Janeiro (80.404).
Entre as mortes confirmadas, 65 foram no Rio de Janeiro, 11 em Duque de Caxias, 1 em Miguel Pereira, 5 em Campos, 5 em São João de Meriti, 3 em Paracambi, 3 em Nova Iguaçu, 3 em São Gonçalo, 7 em Angra dos Reis, 1 em Belford Roxo, 1 em Italva, 1 em Itaguaí, 1 em Mangaratiba, 1 em Itaboraí e 1 em Magé.

Reabrindo as portas
VOLTA REDONDA: Novo centro cultural vai promover mais de 700 eventos ainda este ano


Gotardo e Moa querem apoio da classe cultural

A antiga sede da fazenda São João Batista, pertencente à família Barreira Cravo, localizada no bairro Voldac, vai reviver seus melhores momentos culturais. É que ela está sendo recuperada e restaurada pela prefeitura de Volta Redonda e quando pronta abrirá suas portas para mostrar a volta-redondenses e vizinhos o que há de melhor na cultura do país. Quem sabe, até internacional. É que ela está sendo transformada em um Centro Histórico Cultural, uma nova opção de arte e cultura da cidade do aço.
O projeto foi apresentado pelo prefeito Gotardo na quinta 8, e o Centro Cultural recebeu o nome de Leonor Barreira Cravo, da família de Aprígio Barreira Cravo, uma das mais tradicionais de Volta Redonda. O Centro Histórico Cultural contará com estrutura técnica voltada para pesquisas e estudos. Terá, por exemplo, um Museu da Imagem e do Som, com acervo de documentos relacionados à história da cidade do aço. Terá ainda exposição de fotos e objetos, estúdio para gravações de depoimentos de pessoas que viveram o passado, mantendo o projeto ”História Oral de Volta Redonda”. Poderá receber visitas monitoradas, promoverá cursos, palestras, lançamento de livros e exibição de filmes históricos. Nos jardins externos da fazenda, promoverá uma exposição permanente de pequenas coleções de charretes e automóveis antigos.
De acordo com o prefeito Gotardo, o local será um espaço para importantes eventos e exposições culturais da cidade. “Vamos estabelecer aqui as raízes da nossa cidade, que será bem representada”, disse o prefeito, desejando que o Centro se torne um local de visitação para estudantes e a população. “Informaremos aqui tudo sobre a história de Volta Redonda”, garantiu, ressaltando que espera contar com o apoio dos artistas para estabelecer os projetos do Centro Histórico. “Estamos abertos às idéias. Vamos criar e formar este espaço junto”, prometeu. A artista plástica Dilma Carvalho, presente ao evento, comemorou. “Finalmente teremos a liberdade de expressar a nossa cultura. Um espaço como este é a começo da realidade do nosso sonho”, disse, frisando que vai participar ativamente do Centro.

Projetos
O secretário de Cultura, Moacyr de Carvalho, o Moa, anunciou que a pasta pretende promover ainda uns 700 eventos culturais até o final do ano, muitos dos quais poderão vir a ocorrer no novo Centro Cultural de Volta Redonda. Afinal, frisa, o governo Gotardo oferece atualmente projetos como Vila Cultural, Banda Alegra a Cidade, Seresta nos Bairros, Bailes populares, Chorinho na Vila, Trio elétrico Cultural, Centro Cultural Raimundo Quaresma, Palco sobre Rodas, Volta Redonda do Rock, Festival de Música (Femuvre), sem contar os que são promovidos no Memorial Zumbi, na Ilha São João, e no Zélia Arbex, na Vila, como o Artista Plástico, Salão Nacional de Artes Plásticas e o 21º Salão de Humor.
“Para apoiar e incentivar mais a cultura, a prefeitura patrocinará projetos culturais aprovados pelo Conselho de Cultura com R$ 500 mil”, prometeu Moa.

© Jornal aQui. Todos os direitos reservados - Este site é melhor visualizado no IE 4 ou superior em 800 x 600.